segunda-feira, outubro 07, 2013

Atualização 2013

Como sempre, o blog está parado, mas não abandonado.

Sempre procuro responder msgs no bpdvicio@gmail.com e aprovar as postagens.

Um dos e-mails que recebi foi do leitor C. (apenas a primeira inicial). Ele me perguntou o que foi que me fez parar de jogar, o que mudou na minha vida para eu abandonar o vício.

Vou responder com um texto longo.

O grande problema do vício em jogos é a sensação de satisfação imediata que os jogos trazem VS a morosidade e sensação de demora da vida real.

Você tem que pensar em todo o tempo que investiu em N jogos, e o que isso te trouxe de fato. Fora o tempo que você jogou cada um desses jogos, o que estar entre os melhores de um jogo te traz de benefícios hoje, de fato? 

Esse tipo de pergunta e resposta você tem que dar pra você mesmo, com toda a sinceridade. Ninguém tem mais interesse nessa resposta que você mesmo. Você pode argumentar que melhorou seu raciocínio lógico, que deixou sentidos mais aguçados, que te tornou uma pessoa mais feliz no geral, ou qualquer outro benefício, ou pode encontrar só malefícios, ou um pouco de cada coisa. Enfim, essa resposta você tem que se dar lá no fundo, e tentar descobrir o que ser um vencedor nos jogos te traz na vida real.

Tudo o que fazemos na nossa vida, seja jogar o dia inteiro, seja trabalhar o dia inteiro, seja beber ou dormir o dia inteiro, é o que vamos ter quando tivermos 60, 70 anos. O resultado final da nossa vida é a soma de tudo o que fizemos durante ela. Parece óbvio, mas as vezes não é claro.

Aí chegamos na pergunta do leitor C.: o que me levou a parar? Qual foi a gota d'água? 

Não teve nada tão claro assim não. Foi só o fato de olhar para minha vida, com 25 anos, com o total de horas que investi para ser o melhor em N diferentes jogos, e notar que estava no exato mesmo ponto que estava 5 anos atrás. Foi perceber que eu poderia chegar a 30, 40, 50, com exatamente as mesmas coisas que tinha com 20. E por "coisas" entenda-se não somente coisas materiais, mas coisas que eu aprendi, coisas que eu sou. 

Quando me fazia a pergunta "o que ganhei em 5 anos de jogo, e o que posso ganhar com mais 15 ou mais" , percebia que ia chegar aos 60 anos sem ter feito nada na vida, sem ter conhecido mais países, pessoas, comprados coisas legais, enfim, vivido de fato. Essa percepção demorou meses para vir à tona.

Quando comecei a comparar as N satisfações imediatas dos jogos com as 0 satisfações da vida real, comecei a entrar em pânico. Jogar não me trouxe nada de fato, a não ser felicidade momentânea.

Nesse ponto é sempre muito importante lembrar que não advogo nunca contra os jogos como entretenimento. Você jogar algo de maneira sadia te traz sim coisas boas pra vida. Entretenimento é vital para o ser humano, e jogar uma quantidade razoável te tempo te torna uma pessoa melhor, assim como jogar bola uma quantidade razoável de tempo, sair pra beber uma quantidade razoável de tempo, assistir filmes ou ler livros uma quantidade razoável de tempo.

O péssimo do vício em jogos e outros diversos vícios é te roubar tempo. E tempo não tem como recuperar ...

9 Comentários:

Às outubro 08, 2013 11:02 AM , Anonymous Anônimo disse...

Resumiu toda a nossa luta em um post. Ótimas palavras, breves e tocantes. Essa é uma luta de cada um de nós porque cada um foge das suas coisas.
Parabéns por ter chegado a essas simples e brilhantes conclusões e mais ainda por ter compartilhado com as pessoas que estavam precisando dessa luz.
Tudo de bom meu velho.

 
Às outubro 10, 2013 10:12 AM , Blogger Eduardo Bolseiro disse...

Qual foi a minha surpresa ao ver que o blog está atualizado! Ainda estou na luta, não completei sequer seis meses de batalha - está sendo difícil, algumas recaídas, mas sei que vai valer a pena. Tenho uma esposa um filho que confiam em mim!

Abraço!

http://www.jogarnaodaxp.blogspot.com.br/

 
Às dezembro 03, 2013 11:43 PM , Anonymous Anônimo disse...

Acho incrivel como vc teve coragem de admitir que era viciado, e com isso, expor a todos como era sua vida, para se ajudar, e consequentemente, esta ajudando a todos, com sua historia, e mantendo este blog, desde 2006, o que é mais impressionante ainda.
Entrei aqui, pq tambem jogo direto jogos online, antigamente jogava quase que 24hrs Habbo, o que fez eu perder mt tempo e dinheiro na minha vida, agora estou jogando outro, mas vou tentar fazer de tudo pra parar de ser um 'viciado'

 
Às dezembro 17, 2013 1:45 PM , Blogger Guilherme Oliveira disse...

As únicas pessoas que podem jogar diversos jogos e ainda assim tirar proveito disso são os Game Masters e Administradores - player é resto

 
Às dezembro 17, 2013 1:46 PM , Blogger Guilherme Oliveira disse...

As únicas pessoas que podem jogar diversos jogos e ainda assim tirar proveito disso são os Game Masters e Administradores - player é resto

 
Às fevereiro 15, 2014 12:24 AM , Anonymous seguidores do instagram disse...

sensacional !

 
Às junho 09, 2014 2:00 PM , Anonymous R disse...

Eu sei que as postagens são antigas, mas é bom para mim também me manifestar. Eu também passo muito tempo jogando, é exatamente como disse, a sensação momentânea que no fim do dia se resume em nada. Nada realizado, nada adquirido, muitas vezes mal consigo lembrar do que realizei no jogo. Eu quero parar, talvez não por mim, mas as pessoas perto de mim são afetadas com isso, e isso me deixa triste. Nunca pensei que fosse tão sério, desde os 6 anos de idade (agora 25) sempre joguei joguei joguei, mas não posso mais conviver com isso, eu quero estudar, passar em algum concurso, e o jogo me atrapalha muito. Também estou na luta!

 
Às agosto 03, 2014 1:36 PM , Anonymous Anônimo disse...

Meu filho tem 14 anos e é viciado em jogos eletrônicos, se deixo, fica jogando até a completa exaustão qdo então, cai para o lado e dorme.Deixa de se alimentar, estudar, se higienizar, enfim, nada mais existe de importante na vida. Para tentar nos convencer da importância dos jogos, diz que faz isso, para futuramente, ser criador de jogos e ganhar muito nessa profissão.Está fazendo terapia pelo fato de ser portador de defit de atençao e hiperatividade e quando comento com o médico e a psicóloga sobre esse vício, dizem que tenho que fazer acordos com ele, do tipo, dou-lhe duas horas para jogar se estiver estudando adequadamente, ou se estiver praticando qualquer outra atividade física p.ex. Ocorre que duas horas jamais o satisfaz e me implora para ficar mais um pouquinho, fazendo chantagens do tipo "que não o deixo ser feliz". Discordando da ideia dos médicos e psicólogos vou tirar todos os equipamentos que utiliza para jogos como cel, notebook enfim, vocês sabem...O que gostaria de saber é, vocês acham que se eu como mãe o impedir totalmente de jogar, chegarei a um resultado positivo? Por favor, peço que me ajudem.

 
Às agosto 04, 2014 8:43 PM , Blogger jkfkkk disse...

Desculpem-me, o último comentário foi feito por mim lucia.akiko@globo.com, como esperar ajuda sem deixar endereço? Estou realmente muito preocupada.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial